Ruas são pintadas de azul na tentativa de diminuir calor e reduzir gasto de energia[ 2 min ]

Secretaria do Meio Ambiente de Tietê afirma que o asfalto na cor azul deixa o ambiente com temperatura mais amena. Ideia é pintar ruas de outros bairros da cidade ainda este ano.

A prefeitura de Tietê (SP) começou a pintar no início deste ano as ruas da cidade de azul. A medida foi tomada para diminuir a temperatura ambiente, já que o asfalto escuro absorve muita luz e calor.

O secretário de Meio Ambiente, George Nicolosi, explicou para a reportagem da TV TEM que estudos apontam que a cor azul reflete mais a luz, o que favorece a redução da temperatura do piso.

Segundo ele, com a diminuição do calor, os moradores podem reduzir o uso de ventiladores e ar-condicionado. “Você tem um ambiente com temperatura mais amena e vai demandar menos capacidade de resfriamento de um ar-condicionado, por exemplo, e vai consumir menos energia. Embora o branco absorva mais, ele tem uma particularidade de gerar muita luminosidade e causa transtorno visual. Azul favorece conforto visual e térmico”, afirma Nicolosi.

O secretário acredita que a economia nas contas de energia possa chegar a 10%.

A pintura começou nas ruas do comércio em frente à Secretaria de Meio Ambiente. O objetivo, de acordo com a prefeitura, é que o azul tome conta de outras vias.

No asfalto sem pintura a temperatura chegou a 54°C. Já na área com tinta azul o termômetro marcou 47°C.

O secretário percorreu a rua com a equipe de reportagem com um termômetro. No asfalto sem pintura a temperatura chegou a 54°C. Já na área com tinta azul o termômetro marcou 47°C.

“O Legislativo e o Executivo já tomaram conhecimento do material e confirmaram dar continuidade nisso. É uma prática que melhora o conforto da comunidade. A lata utilizada para fazer a pintura é de 18 litros e custou R$ 130”, afirma o secretário.

De acordo com o engenheiro agrônomo e professor de meteorologia da UFSCar, Daniel Nassif, quanto mais próximo ao branco o ambiente fica menos aquecido.

“Quanto mais próximo do branco, menos aquecido o ambiente fica. Então, você tem essa relação de ganho de conforto técnico. É uma ideia interessante, usada em vários países da Europa, nos Estados Unidos, Japão”, diz.

“Aqui no Brasil a gente consegue enxergar construções novas com telhados mais claros e com cores mais claras para conforto térmico e custo de energia mais baixo para resfriamento do imóvel”, explica.

Fonte: G1.

Se o conteúdo foi útil, compartilhe, e se puder, faça um pix de qualquer valor para pix@greenbusinesspost.com e mantenha o nosso time empenhado na geração de novos conteúdos.

Click Here
Newsletter
Faça como 350 mil pessoas e receba conteúdos exclusivos! Inscreva-se aqui!!

As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do GREEN BUSINESS POST.

REPUBLIQUE nosso conteúdo de acordo com a Collaborative Progress License!

APOIE: ao adquirir livros e outros produtos por meio de links no site, você estará apoiando o autor ou o canal sem pagar nada a mais por isso. 🙂

PARTICIPE dos grupos de discussão:  FacebookGoogle

Lenah Sakai

Ex-atleta, green fellow (vegetariana, minimalista), trabalhando duro para tornar as organizações, os maiores impactadores do planeta, mais sustentáveis. Formada em administração pela PUC-SP, há +10 anos atua em negócios e sustentabilidade. Fundadora do Green Business Post, co-fundadora da Ignitions Inc., do movimento Cultura Empreendedora, do DIRIAS, 1ª associação de direito digital do Brasil e da ABICANN, 1ª associação das indústrias de cannabis do Brasil. Hoje é gestora de uma rede de 5 milhões de pessoas do ecossistema empreendedor nacional e internacional.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.