Microsoft afunda data center no mar[ 1 min ]

A Microsoft afundou um data center no litoral da Escócia para testar novas maneiras de diminuir o consumo de energia de servidores. A ideia é encontrar um novo jeito de resfriar data centers e, assim, diminuir os custos com energia elétrica.

Data centers costumam consumir bastante energia. Como as máquinas geram muito calor, elas exigem grandes sistemas de refrigeração, o que acaba aumentando os gastos com energia. Há alguns anos a Microsoft começou a testar data centers submersos para fazer com que a água do mar substitua os sistemas de refrigeração.

Em 2015, a Microsoft fez um primeiro teste ao afundar um data center no litoral da Califórnia durante cinco meses. Agora a empresa vai avançar com os experimentos e pretende manter o data center escocês submerso por 5 anos.

O novo data center que foi para o fundo do mar conta com 864 servidores e tem capacidade de armazenamento de 27,6 petabytes – o suficiente para guardar cerca de 5 milhões de filmes.

Confira o vídeo abaixo com o momento em que o data center foi afundado:

Fonte: Olhar Digital.

Se estamos lhe agregando de alguma forma, apoie a profissionalização do canal. Faça um pix de qualquer valor para pix@greenbusinesspost.com e mantenha o nosso time empenhado na geração de novos conteúdos.

Click Here
Newsletter
Faça como 350 mil pessoas e receba conteúdos exclusivos! Inscreva-se aqui!!

As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do GREEN BUSINESS POST.

👍 REPUBLIQUE nosso conteúdo de acordo com a Collaborative Progress License!

🫶 APOIE: ao adquirir produtos por meio de links no site, você estará apoiando o autor/canal sem pagar nada a mais por isso.

👣 ACOMPANHE nossas redes no Everlink.

💪 PARTICIPE das discussões sobre ESG+ no Facebook.

Lenah Sakai

Ex-atleta, green fellow (vegetariana, minimalista), trabalhando duro para tornar as organizações, os maiores impactadores do planeta, mais responsáveis. Formada em administração pela PUC-SP, há +10 anos atua em negócios e sustentabilidade. Fundadora do Green Business Post, co-fundadora da Ignitions Inc., do movimento Cultura Empreendedora, do DIRIAS, 1ª associação de direito digital do Brasil e da ABICANN, 1ª associação das indústrias de cannabis do Brasil. Hoje é gestora de uma rede de 5 milhões de pessoas do ecossistema empreendedor nacional e internacional.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *