PUC-SP lança curso de Ciências Socioambientais[ 1 min ]

Atendendo a uma demanda crescente de profissionais para resolver o aumento dos problemas socioambientais, a PUC-SP lança curso de bacharelado em Ciências Socioambientais.

*Por Lenah Sakai | 11 nov 2019

A Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) está lançando um curso novo na interface das áreas de Ciências Sociais e Meio Ambiente, Preenchendo a demanda de profissionais e pesquisadores nesta área, o objetivo é formar cientistas socioambientais capazes de refletir sobre os desafios que se apresentam para a humanidade, ameaçada pela crise ambiental de múltiplas facetas com profundos impactos em questões sociais, culturais e econômicas.

Desafios estudados

Com o crescimento de cidades e da população urbana, surgiram problemas que hoje se repetem em diversas partes do mundo. São eles:

  • poluição atmosfética;
  • mobilidade urbana;
  • poluição de rios e represas;
  • má qualidade da água;
  • desastres ambientais;
  • saneamento precário;
  • coleta e tratamento de resíduos;
  • moradias em áreas de preservação ambiental;
  • risco de secas prolongadas;
  • dentre outros.

Áreas de atuação profissional

Os alunos formados no curso de Ciências Socioambientais poderão atuar em:

  • instituições públicas (estatais e não estatais) e privadas, tais como fundações e autarquias públicas. centros de pesquisa;
  • entidades do Sistema S (SESC, SENAI, SESI, SEBRAE, SENAC, etc.);
  • organizações sindicais; conselhos municipais gestores de políticas ambientais;
  • organizações não governamentais; institutos culturais;
  • movimentos sociais e ambientalistas e partidos políticos, além de organizações e fundações internacionais. Podem atuar também nos meios de comunicação, no urbanismo e nos campos da cultura e da arte.

Alguns exemplos de atividades são:

  • adminstração pública;
  • formulação e implementação de polĩticas;
  • planejamento urbano e urbanismo;
  • processo de licenciamento ambiental;
  • resolução de conflitos;
  • assessoria e consultoria;
  • negociações internacionais;
  • dentre outros.

Por que do curso

Cada vez mais é claro que questões ambientais precisam privilegiar as relações entre sociedade, cultura, economia e ecologia, fugindo à especialização excessiva e à perda de uma visão abrangente do contexto social que origina e agrava a crise ambiental. Está é a nova perspectiva oferecida pelo curso.

Algumas disciplinas

  • Modernidade e conflitos sociais;
  • História dos movimentos ambientalistas e correntes atuais;
  • Sociologia, urbanização e dinâmica urbana;
  • Alternativas à crise ecológica;
  • Territorialidade e Povos Tradicionais;
  • Espaços Agrários no Brasil;
  • Negociações internacionais em meio-ambiente;
  • Modernização ecológica e responsabilidade corporativa;
  • Revoluções tecnológicas e impactos sociais;
  • Saúde coletiva e meio-ambiente;
  • Expulsões: migração e refugiados ambientais.

Vestibular aberto

Saiba mais sobre o curso aqui e inscreva-se no vestibular até 14 de novembro de 2019.

Se estamos lhe agregando de alguma forma, apoie a profissionalização do canal. Faça um pix de qualquer valor para pix@greenbusinesspost.com e mantenha o nosso time empenhado na geração de novos conteúdos.

Click Here
Newsletter
Faça como 350 mil pessoas e receba conteúdos exclusivos! Inscreva-se aqui!!

As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do GREEN BUSINESS POST.

👍 REPUBLIQUE nosso conteúdo de acordo com a Collaborative Progress License!

🫶 APOIE: ao adquirir produtos por meio de links no site, você estará apoiando o autor/canal sem pagar nada a mais por isso.

👣 ACOMPANHE nossas redes no Everlink.

💪 PARTICIPE das discussões sobre ESG+ no Facebook.

Lenah Sakai

Ex-atleta, green fellow (vegetariana, minimalista), trabalhando duro para tornar as organizações, os maiores impactadores do planeta, mais responsáveis. Formada em administração pela PUC-SP, há +10 anos atua em negócios e sustentabilidade. Fundadora do Green Business Post, co-fundadora da Ignitions Inc., do movimento Cultura Empreendedora, do DIRIAS, 1ª associação de direito digital do Brasil e da ABICANN, 1ª associação das indústrias de cannabis do Brasil. Hoje é gestora de uma rede de 5 milhões de pessoas do ecossistema empreendedor nacional e internacional.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *