Pesquisa dá origem a cerveja e iogurte para diabéticos[ 2 min ]

Uma planta muito conhecida entre os brasileiros está em estudo como objeto de matéria prima para a fabricação de cerveja e iogurte para diabéticos. A pesquisa é desenvolvida por uma equipe interdisciplinar da Universidade Estadual do Centro Oeste (Unicentro), em Guarapuava (PR), coordenada pelo Biomédico e PhD em Bioquímica Dr. Carlos Ricardo Maneck Malfatti, que tem apoio do Governo Estadual do Paraná e do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), por meio de bolsa de Produtividade em Pesquisa (DT) em Tecnologias Médicas e para Saúde 2018. Os alimentos estão com as patentes depositadas (algumas já atestadas pela ANVISA) e outras ainda tramitando para o Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (INPI).

alecrim do campo
Alecrim do campo

A descoberta

De acordo com Malfatti, a pesquisa inicial visava tratar a obesidade por meio de um produto natural, mas acabou mudando de rumo: “foi um acidente científico”. Segundo ele, ideias são exploradas e quase sempre acabam chegando a outras. “Quando começamos a pesquisa com o alecrim do campo identificamos uma modesta redução de gordura visceral associada com efeito hipoglicemiante e despertou a curiosidade”. O passo seguinte foi estudar o efeito do alecrim do campo em ratinhos diabéticos e chegou-se a uma fórmula de como extrair bioativos, que são substâncias presentes na planta, para observar a concentração ideal desses extratos em estudos in vitro (células isoladas) e pré-clínicos (modelos animais que mimetizam diabetes), buscando a dose ideal e analisando a resposta bioquímica, antioxidante, histopatológica, toxicológica e, por fim, a aplicação em humanos.

A cerveja

Entretanto, os produtos em estudo não se tratam de remédios/fármacos (Atestado pela ANVISA), e sim um tratamento natural que colabora para a prevenção e controle da glicemia. A cerveja ganhou o nome de ‘Rosemary’ (em fase de rotulagem e logomarca por equipe de publicidade vinculada), que significa alecrim em inglês. O grupo pretende ainda estender os estudos para aplicação em outros alimentos, compondo uma linha de produtos. “Estamos elaborando novos produtos a partir de orientações acadêmicas em diferentes níveis, como Iniciação Científica Tecnológica, Mestrados Acadêmicos e Profissionais e Doutorado”, afirma Malfatti.

Recentemente, o professor Dr. Malfatti foi convidado como orador oficial para apresentar os dois produtos em um importante evento em Lisboa, Portugal (FISSIN- LISBOA), cujo objetivo é aproximar cientistas de empresários em uma rodada de negócios, transferência de tecnologia para o setor empresarial, gerando Royalties, emprego e renda, bem como oportunidades de parcerias entre diferentes IES da Europa com o Brasil.

Fonte: CNPq. Imagem: Unicamp.

[amazon_link asins=’B07DT7Q68K,B07DT3DGQJ,8578814258,8545201540,8576840782,8562247588,8543103509,8578812301,8568684327′ template=’ProductCarousel’ store=’green-business-post-20′ marketplace=’BR’ link_id=’3b4cf290-b55b-11e8-b00d-f7ec0c42b631′]

Se estamos lhe agregando de alguma forma, apoie a profissionalização do canal. Faça um pix de qualquer valor para pix@greenbusinesspost.com e mantenha o nosso time empenhado na geração de novos conteúdos.

Click Here
Newsletter
Faça como 350 mil pessoas e receba conteúdos exclusivos! Inscreva-se aqui!!

As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do GREEN BUSINESS POST.

👍 REPUBLIQUE nosso conteúdo de acordo com a Collaborative Progress License!

🫶 APOIE: ao adquirir produtos por meio de links no site, você estará apoiando o autor/canal sem pagar nada a mais por isso.

👣 ACOMPANHE nossas redes no Everlink.

💪 PARTICIPE das discussões sobre ESG+ no Facebook.

Lenah Sakai

Ex-atleta, green fellow (vegetariana, minimalista), trabalhando duro para tornar as organizações, os maiores impactadores do planeta, mais responsáveis. Formada em administração pela PUC-SP, há +10 anos atua em negócios e sustentabilidade. Fundadora do Green Business Post, co-fundadora da Ignitions Inc., do movimento Cultura Empreendedora, do DIRIAS, 1ª associação de direito digital do Brasil e da ABICANN, 1ª associação das indústrias de cannabis do Brasil. Hoje é gestora de uma rede de 5 milhões de pessoas do ecossistema empreendedor nacional e internacional.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *