Marca com sede em SC lança produto para mineração feito de resíduos de lixo

Item serve para demarcar perfuração no solo em processos de sondagem e foi fabricado a partir de matéria-prima recolhida em praias e encostas do Sul do Brasil

O marco de sondagem é uma peça fundamental para o processo de investigação do subsolo no setor da mineração. Como o próprio nome sugere, o item demarca e fornece informação do local exato onde é realizada a perfuração do solo para a sondagem, método que é empregado para a obtenção de amostras de solo e rocha em profundidade.

A marca canadense-brasileira Core Case, que possui sede em Santa Catarina, é especializada na produção de artigos para mineração e acaba de lançar ao mercado nacional um marco de sondagem feito a partir de resíduos de lixo. O produto é fabricado com materiais que foram recolhidos em praias do Sul do país ao longo do ano. A coleta tem sido realizada por meio do projeto We Nature, iniciativa viabilizada pela marca em parceria com a ONG Eco Local Brasil, há cerca de dois anos.

Daniel Bortowski Carvalho, geólogo e também diretor da marca responsável pelo lançamento do produto, explica que o marco de sondagem convencional é feito de concreto. Segundo ele, a peça precisa ser feita de um material resistente para cumprir o seu papel. O executivo conta que ao passar pelo processo de compressão, a matéria-prima criada a partir do lixo adquire as propriedades necessárias para desempenhar a função com a mesma qualidade do produto padrão.

“Há 11 anos desenvolvemos cases para a mineração feitos a partir de plástico reciclado, itens que foram muito bem aceitos no mercado. Com o projeto de limpeza das praias, no início de 2020, observamos que também poderíamos dar novos destinos aos resíduos recolhidos. A partir daí iniciou a criação de uma nova linha de produtos para atender este mercado que está aberto às alternativas mais sustentáveis”, conta.

O marco de sondagem feito de resíduos chegou ao mercado brasileiro no início de 2022, levou cerca de um ano para ser desenvolvido e custa o equivalente ao item feito de concreto. Em junho deste ano a peça deve ser apresentada ao mercado internacional. A marca vai expor o produto na PDCA – Prospectors & Developers Association of Canada, considerada a feira mais importante do mundo no setor de pesquisa mineral.

Além da produção dos cases e do marco de sondagem sustentáveis, a Core Case também lançou outros itens úteis para uso em praças de sondagem, tais como lixeira, mesa e banqueta.

“Outra peça que já está no mercado são os vasos para plantas, também feitos a partir de resíduos. No ano passado, a ação de limpeza das praias e encostas resultou numa coleta de 43 toneladas de lixo”, observa Eduardo do Rosário, gerente da marca.

Fonte: Carina Carboni Sant’Ana | Multimídia Comunicação | jornalismo.carinacarboni@gmail.com.

Se o conteúdo foi útil, compartilhe, e se puder, faça um pix de qualquer valor para pix@greenbusinesspost.com e mantenha o nosso time empenhado na geração de novos conteúdos.

Click Here
Newsletter
Faça como 350 mil pessoas e receba conteúdos exclusivos! Inscreva-se aqui!!

As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do GREEN BUSINESS POST.

REPUBLIQUE nosso conteúdo de acordo com a Collaborative Progress License!

APOIE: ao adquirir livros e outros produtos por meio de links no site, você estará apoiando o autor ou o canal sem pagar nada a mais por isso. 🙂

PARTICIPE dos grupos de discussão:  FacebookGoogle

Lenah Sakai

Ex-atleta, green fellow (vegetariana, minimalista), trabalhando duro para tornar as organizações, os maiores impactadores do planeta, mais sustentáveis. Formada em administração pela PUC-SP, há +10 anos atua em negócios e sustentabilidade. Fundadora do Green Business Post, co-fundadora da Ignitions Inc., do movimento Cultura Empreendedora, do DIRIAS, 1ª associação de direito digital do Brasil e da ABICANN, 1ª associação das indústrias de cannabis do Brasil. Hoje é gestora de uma rede de 5 milhões de pessoas do ecossistema empreendedor nacional e internacional.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.