Embrapa lança revista em quadrinhos sobre consumo sustentável de alimentos e pesquisa sobre o desperdício das famílias brasileiras

*Adaptado de Embrapa | 26 nov 2019

Na quinta-feira (28), a Embrapa Tabuleiros Costeiros recebeu na sua sede, em Aracaju, professores, coordenadores pedagógicos, estudantes, pesquisadores, agrônomos, nutricionistas e a sociedade em geral para discutir o problema global do desperdício de alimentos.

Durante o encontro, a Embrapa realizou a distribuição de uma revista em quadrinhos da Turma da Mônica e um guia didático para professores sobre consumo sustentável, lançados oficialmente na terça (26) em Brasília. As publicações educativas explicam os impactos negativos do desperdício de alimentos nas famílias e dão dicas de como substituir esse hábito por um consumo mais sustentável. 

A iniciativa faz parte de projeto apoiado pelos Diálogos Setoriais União Europeia – Brasil, liderado pela Embrapa, em parceria com o WWF Brasil e colaboração do Instituto Maurício de Sousa. O programa é um instrumento de cooperação alinhado ao Objetivo de Desenvolvimento Sustentável que visa reduzir pela metade as perdas e o desperdício de alimentos global até 2030

“Essa ação do Embrapa & Escola também faz parte do projeto ‘Diálogos sobre desperdício de alimentos: sensibilização da juventude sobre consumo sustentável e mudanças climáticas’, que tem como foco a comunicação para mudança comportamental”

explica Gustavo Porpino, analista da secretaria de Inovação e Negócios da Embrapa (Brasília/DF), coordenador da iniciativa.
embrapa turma da mônica desperdício alimentos consumo sustentável

Pesquisa
Na primeira fase, entre 2017 e 2019, o projeto “Diálogos sobre desperdício de alimentos” realizou pesquisa em âmbito nacional para conhecer hábitos de consumo e desperdício de alimentos em famílias brasileiras. Os resultados apontam que 41,6 quilos de comida são desperdiçados por pessoa a cada ano. Diariamente, cada família brasileira joga fora 353 gramas, o que dá um alarmante total de 128,8 quilos de alimento que deixam de ser consumidos e vão parar nos contêineres de lixo.

>> Leia mais sobre a pesquisa aqui

O estudo também mostrou que na liderança dos alimentos mais descartados estão o arroz (22%), a carne bovina (20%), o feijão (16%) e o frango (15%), presentes nas refeições diárias da maior parte da população.

“O arroz e o feijão, que encabeçam a triste estatística, são dois dos principais ingredientes de um cardápio considerado ideal para suprir as necessidades de nutrientes do organismo humano”

ressalta Gustavo Porpino.

Para tentar explicar essas distorções, a pesquisa constatou ainda que, por trás dos números do desperdício, estão fatores comportamentais como a valorização da fartura, em diferentes etapas do consumo – desde a compra até o preparo do alimento.

A necessidade de comprar em grande quantidade, para manter a despensa abastecida, foi confirmada por 68% das pessoas que responderam à pesquisa e que, por sua vez, afirmaram, em 52% dos casos, achar importante o excesso. Mais de 77% dos participantes admitiram a preferência por ter sempre comida fresca à mesa, o que leva 56% deles a cozinhar em casa duas ou mais vezes por dia, contribuindo com a preservação da ideia de que “é sempre melhor sobrar do que faltar”.

>>Faça o download da revista aqui!<<

Fonte: Embrapa. Imagem: Amazonas1.

Atualização semanal

Receba oportunidades, editais, eventos e conteúdo exclusivo diretamente em seu email.

Cadastre-se

Apoie o canal 🙂

As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Green Business Post.

Republique nosso conteúdo de acordo com a Collaborative Progress License!

2 Comentários

  1. Como faço pra ter acesso as revistas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *