amazonia extração negocio sustentavel

Colares, anéis e pulseiras que além de desejáveis, por serem belos e únicos, fazem bem ao planeta e geram renda para comunidades da floresta. Esse é o core da Da Tribu, um dos empreendimentos de impacto que conheci no Programa de Aceleração da Plataforma Parceiros pela Amazônia.

Se a beleza dos acessórios chama a atenção, ouvir a história por trás deles motiva ainda mais. Criada em 2009, em Belém do Pará, pela artesã Kátia Fagundes, a Da Tribu hoje é coordenada por sua filha, Tainah Fagundes, e trabalha com a produção de acessórios contemporâneos – colares, anéis, brincos e pulseiras – com tecnologia da floresta, valorizando a biodiversidade e o meio ambiente por meio de dois insumos: fios de algodão cobertos de látex e papel reciclado.

A produção da matéria prima utilizada em parte dos acessórios é fornecida por meio de uma parceria com a Comunidade Extrativista de Pedra Branca, localizada na Área de Proteção Ambiental da Ilha de Cotijuba, no Pará. É de lá que vem o látex e a produção dos fios encauchados (técnica de impermeabilização com uso de látex, originária da cultura indígena) para a criação dos acessórios da principal coleção da Da Tribu – a Pontear.

As peças são vendidas por meio de feiras de economia criativa, salões de moda e do e-commerce da marca. “Buscamos nos consolidar nacionalmente como uma empresa que impacta positivamente a Amazônia e mercado da moda. O setor de acessórios sustentáveis tem respondido bem, e já estamos estudando o mercado para a produção de bolsas, carteiras e mochilas”, diz Tainah. 

Com essa cadeia de produção de impacto socioambiental positivo, a Da Tribu vem se inserindo no mercado de moda sustentável. Participou do Minas Trend em 2015 e do São Paulo Fashion Week em 2015 e em 2017, integrando o Salão Pop-up de peças autorais.

Muitos prêmios foram também conquistados por ela, entre os quais o Desafio Natura Amazônia – Negócios para a floresta em pé (2016), o Top 100 Sebrae do Artesanato (2016-2019), Prêmio Residência Acessa Campus Telefônica/Vivo + Aliança (2018) o Prêmio Pandora Mulher Empreendedora 2018 e o Prêmio Empreendedor PPA , também em 2018.

As peças, além de serem bonitas, únicas e para um look descolado, contribuem para gerar renda para as comunidades amazônicas e manter a floresta em pé. Longa vida à Da Tribu!

Fonte: Conexão Planeta.

Atualização semanal

Receba atualização exclusiva diretamente em seu email.

Cadastre-se

As opiniões veiculadas nos artigos de colunistas e membros não refletem necessariamente a opinião do Green Business Post.

Siga nossas redes sociais

Creative Commons License AttributionRepublish

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *